segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Entrevista com o autor do livro "A Queda".



1- Roniere Lopes onde você nasceu? Fale-nos um pouco de como foi sua infância e juventude.

Nasci em Natal. A minha infância foi um tanto quanto "turbulenta", devido à separação precoce de meus pais. Confesso que tive alguns problemas ocasionados a isso. Procurei viver de forma divertida, com coisas que depois de certo tempo concebi que não eram tão divertidas assim. Tudo isso me serviu de aprendizado.

2- Quais foram suas primeiras leituras? Como e onde começou o seu interesse pela literatura?

Iniciei no mundo literário lendo revistas em quadrinhos. Todo meu gosto pela literatura se deu através do meu padrasto. Ele tinha um contato muito grande com isso e me influenciou.

3- Quais suas principais influências literárias? Você já leu algum obra/autor potiguar?

J. R. R. Tolkien e J. K. Rowling são os dois autores que mais me inspiram. Ainda não li nenhuma obra de autor potiguar.

4- Roniere Lopes , fale-nos do seu livro de estreia, “A Queda “,  que vai ser lançado pela Editora CJA Ediçoes. Quais as influências nesse primeiro trabalho? E como foi o processo de construção da obra?

Gosto muito de ficção, filmes de aventura e contos de livro me fez ter essa ideia. A ideia inicial era de vampiros, um pouco distante do que veio a se transformar o livro “A Queda”. Talvez pela afeição por esse tipo de leitura, fui criando minhas histórias depois de cada filme/livro assistido/lido, e aos poucos dei inicio à construção do livro “A Queda”.
5 Algum motivo especial para o título da obra? Como conheceu o editor Cleudivan Jânio ?

Não, apenas a combinação com a história. Através de um amigo (Edmilson), ele que  ficou sabendo da existência da CJA Edições, marcou uma reunião e nos apresentou. Daí surgiu a possibilidade de concretizar esse sonho.
6- Além da literatura, que outro tipo de arte o atrai?

Teatro. As artes cênicas me cativam.

7- Que leitura é imprescindível no seu dia-a-dia?

Estudar escrituras do evangelho.
8- Qual a sua maior preocupação ao escrever?

Se o que eu escrevo está servindo de influência para um formação de opinião do que não é real.

9- De que maneira a internet atua na sua vida de escritor ?

Utilizo a Internet como um meio de pesquisa, onde busco temas relacionados com os tempos antigos, culturas primitivas e coisas que subsidiem o meu imaginário, no tocante às minhas produções literárias.
10 - O que lhe dá mais prazer no processo da escrita?

Escrever o que imagino me faz viajar e me sentir livre. A liberdade, esse é um prazer o qual eu sinto, por que é meu mundo.

 11- Em sua opinião escrever no Brasil é uma tarefa ingrata?  É ainda uma atividade marginalizada?

Ingrata sim, mas não usaria o termo "marginalizada". Diria que não é aceito por termos, ainda, uma cultura de valorização do que se vem de fora.
12- Você escreveu seu livro pensando num público específico?

Não! Mas acredito que os jovens absorverão melhor o meu livro, até mesmo por uma questão de tempo livre e do gênero.

13- E quais os planos literários para o futuro?

Tenho muitas ideias de ficção em mente. "A Queda" apenas começou, se tudo correr bem poderemos proporcionar uma continuidade, transformando, quem sabe em uma saga. Só o futuro dirá.